Archive for the ‘Notícias’ Category

h1

Segurança do Paciente e Gerenciamento de Risco

1 de novembro de 2017

O tratamento do câncer vem evoluindo muito nas últimas décadas. A pesquisa de novas drogas com menor potencial de reações adversas e risco de reações infusionais é o grande advento nestes últimos anos. Mesmo assim, a infusão de antineoplásicos exige a máxima segurança e a atenção de uma equipe multiprofissional adequadamente preparada. Isto fará toda a diferença no decorrer do tratamento.

A equipe lança mão de todos os recursos para tornar o tratamento o mais seguro possível. O Grupo de Gerenciamento de Risco que faz parte do Núcleo de Segurança do Paciente da CliniOnco trabalha no sentido de prevenir os riscos e minimizar as reações adversas ao paciente em tratamento do câncer.

Uma das atividades realizadas é o monitoramento do Risco de Reações Infusionais (RRI). Estas reações poderão ocorrer aos o paciente ao receberem a infusão de determinados tipos e classes de medicamentos ou quando são politratados, ou seja, que já se submeteram a outras quimioterapias anteriores e também aqueles que já apresentam hipersenssibilidades ou alergias diversas.

A partir dos dados levantados neste monitoramento, a equipe multidisciplinar da CliniOnco, elaborou um trabalho que foi selecionado para ser apresentado no XX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica – SBOC, que ocorreu nos dias 25 a 28 de outubro de 2017, no Rio de Janeiro. O resultado apresentado foi a constatação de que 93,81% das possíveis Reações Infusionais (RI) foram prevenidas em função das ações adotadas pela equipe.

 

Veja o pôster apresentado no Congresso:

Anúncios
h1

Amamentação poderia evitar a morte de 20 mil mulheres ao ano por câncer de mama e ovário

29 de janeiro de 2016

O estudo liderado por um epidemiologista da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) inclui 28 meta-análises e será publicado na revista The Lancet. O aleitamento materno também reduz o risco de obesidade e diabetes. 

amamentar-e-câncer

A mais ampla e detalhada pesquisa já realizada no mundo sobre amamentação, coordenada por um cientista gaúcho, revela dados impactantes sobre a importância do aleitamento materno para a saúde e a economia. De acordo com o estudo, que será publicado hoje pela revista médica The Lancet, universalizar a amamentação evitaria a cada ano a morte de 800 mil crianças e de 20 mil mulheres vitimadas pelo câncer de mama. Conforme o trabalho, a falta de amamentação causa um prejuízo anual de US$ 302 bilhões, por limitar o desenvolvimento intelectual — são US$ 8,7 bilhões perdidos apenas no Brasil.

O principal autor do estudo é o epidemiologista Cesar Victora, professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e um dos cientistas brasileiros de maior projeção. Ele foi convidado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a comandar o grupo internacional que cruzou dados de 28 pesquisas já realizadas sobre o tema — 22 delas encomendadas especificamente para a The Lancet.

As 800 mil vidas que seriam poupadas a cada ano pelo leite materno correspondem a 13% da mortalidade nos primeiros 24 meses de vida. Apesar desse impacto em potencial, o trabalho mostra que a amamentação é negligenciada. Apenas uma em cada cinco crianças recebe leite materno até os 12 meses nos países de renda alta. Em países de renda baixa ou média, como o Brasil, o aleitamento exclusivo até os seis meses é privilégio de apenas uma em cada três crianças.

Uma das descobertas mais importantes da pesquisa é que a amamentação não faz bem apenas para a saúde de quem recebe o leite, mas também de quem o fornece. Os dados apontaram menor incidência de câncer de mama e de ovário entre as mulheres que dão o peito. Segundo Victora, isso decorre do efeito hormonal decorrente da estimulação do seio pelo bebê (veja entrevista ao lado).

No caso das crianças, o aleitamento aumenta a inteligência e reduz o risco de desenvolvimento de obesidade e diabetes na idade adulta. Nos países de alta renda, a mortalidade infantil súbita cai um terço entre crianças amamentadas. No países mais pobres, previnem-se metade dos casos de diarreia.  A expectativa de vida de quem foi aumentado é maior.

Conforme os autores do trabalho, o aumento das taxas de amamentação de crianças de até seis meses de idade a 90% nos Estados Unidos, na China e no Brasil e a 45% no Reino Unido reduziria os custos com tratamento de doenças como pneumonia, diarreia e asma. A economia para os sistemas de saúde seria de US$ 2,45 bilhões nos EUA, US$ 29,5 milhões no Reino Unido, US$ 223,6 milhões na China e US$ 6 milhões no Brasil.

A pesquisa mostra que a falta de aleitamento materno é um problema especialmente grave em países ricos. Por razões culturais ou de mercado de trabalho, as taxas são baixíssimas no primeiro ano de vida em nações como o Reino Unido (menos de 1%), a Irlanda (2%) e a Dinamarca (3%). Os pesquisadores observam que a amamentação é um dos poucos comportamentos de saúde positivos que é mais comum em países pobres do que nos ricos.

Os responsáveis pelo estudo manifestam uma preocupação especial com o avanço da indústria que oferece produtos para substituir o leite materno — as vendas globais do setor passaram de cerca de US$ 2 bilhões em 1987 para US$ 40 bilhões em 2014.

— A saturação de mercado em países de alta renda leva as indústrias a penetrar rapidamente em mercados globais emergentes. Quase todo o crescimento em vendas de leite em fórmula para crianças no futuro próximo deve acontecer em países de renda baixa e média, onde o consumo ainda é relativamente baixo — alerta um dos autores, Nigel Rollins, do Departamento de Saúde Materna, Neonatal, Infantil e do Adolescente da OMS.

• BENEFÍCIOS PARA AS CRIANÇAS AMAMENTADAS POR MAIS TEMPO:

Menos infecções;

Inteligência maior;

Menor risco de obesidade;

Menor risco de diabetes;

Entre outros.

Fonte: Zero Hora

h1

Dezembro, mês de prevenção ao câncer de pele

4 de dezembro de 2015

dezembro_laranjaNeste Dezembro Laranja, mês de prevenção e combate ao câncer da pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia fará ações para conscientizar a população sobre o câncer de maior incidência no ser humano.

São estimados para o Brasil, em 2016, 80.850 novos casos de câncer de pele não melanoma em homens e 94.910 em mulheres. A Organização Mundial da Saúde estima que, no ano 2030, haverá 27 milhões de casos novos de câncer e 17 milhões de mortes pela doença. Protetor solar é indispensável

É indispensável que se use o protetor solar nas áreas expostas, mesmo em dias frios e nublados, reaplicando o produto a cada quatro horas em dias comuns e a cada uma hora em caso de sudorese excessiva ou em praias e piscinas. Também é importante que se utilize proteção nos lábios.

A maioria dos casos de câncer da pele pode ser evitada com medidas simples de fotoproteção, além disso é recomendado que as pessoas se autoexaminem com periodicidade (e aos seus familiares), buscando ajuda de um dermatologista em caso de suspeitas.

 

Fonte: Jornal O Globo

h1

Novo teste é mais eficiente e acurado em detectar câncer de próstata

13 de novembro de 2015

Unindo exames de sangue e genéticos com dados clínicos, método se mostrou capaz de identificar formas mais agressivas da doença e evitar tratamentos arriscados ou biópsias dolorosas

teste câncer de próstata

Um novo teste desenvolvido por pesquisadores do Instituto Karolinska, na Suécia, mostrou ser mais eficiente e acurado do que o usual exame conhecido como PSA para detectar o câncer de próstata. Unindo exames de sangue que buscam por uma combinação de seis marcadores proteicos, 200 marcadores genéticos e análise de dados clínicos, como idade, histórico familiar e avaliações pregressas para a doença, o método, batizado STHLM3, é capaz de identificar formas mais agressivas dos tumores ao mesmo tempo em que reduziu a incidência de falsos positivos, evitando que os pacientes passassem por tratamentos arriscados ou biópsias dolorosas.

Atualmente, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no mundo, com mais de 1,2 milhão de casos diagnosticados em 2012. E o número de homens atingidos pela doença está aumentando. A expectativa é de que, em 20 anos, mais de 2 milhões sejam diagnosticados anualmente, enquanto a validade do PSA como método para isso é alvo de debates.

– O PSA não consegue distinguir entre as formas mais agressivas e benignas do câncer – conta Henrik Grönberg, professor do Instituto Karolinska e líder da pesquisa, que envolveu ensaio com quase 59 mil homens e foi publicada nesta terça-feira no periódico científico “The Lancet Oncology”. – Hoje, homens que não têm câncer ou têm uma forma de câncer que não necessita de tratamento precisam passar por um desnecessário, doloroso e às vezes perigoso tratamento. Além disso, o PSA não detecta muitos dos cânceres agressivos. Assim, decididom desenvolver um teste mais preciso que pudesse potencialmente substituir o PSA.

No estudo, os pesquisadores analisaram os resultados dos testes PSA e STHLM3 realizados em 58.818 homens de Estocolmo com idades entre 50 e 69 anos entre 2012 e 2014. As análises mostraram que o STHLM3 reduziu o número de biópsias em 30% sem comprometer a segurança dos pacientes. Além disso, o novo método encontrou casos agressivos de câncer em homens com baixos valores no teste PSA, e que por isso não teriam a doença diagnosticada a tempo de ser combatida.

– São, de fato, resultados promissores – avaliou Grönberg. – Se conseguirmos introduzir um teste mais acurado para o câncer de próstata, pouparemos os pacientes de um sofrimento desnecessário e recursos da sociedade. O STHLM3 estará disponível na Suécia a partir de março de 2016 e agora vamos começar a validá-lo para outros países e grupos étnicos.

 
Fonte: O Globo/RJ

h1

Cientistas descobrem que o veneno de uma vespa brasileira pode matar células cancerígenas

3 de setembro de 2015

Com o avanço, novas drogas podem ser desenvolvidas contra a doença

vespa brasileira

Uma pesquisa feita em parceria entre a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e a Universidade de Leeds, no Reino Unido, publicada esta semana na revista científica Biophysical Journal, poderá servir de base para a criação de uma nova classe de drogas contra o câncer. O grupo de cientistas descobriu como age a toxina presente no veneno de uma vespa brasileira, a Polybia paulista, capaz de matar células de câncer sem danificar as saudáveis. A toxina, chamada de MP1, é capaz de abrir “buracos” exclusivamente nas células cancerosas, destruindo-as.

Até agora, os cientistas desconheciam o mecanismo de ação da toxina e só sabiam das propriedades anticancerígenas do veneno da vespa, que se mostrou eficaz no controle da proliferação de tumores de próstata, bexiga e leucemia. Segundo os autores do estudo, a MP1 tem potencial para ser um tratamento seguro, podendo ser desenvolvidas novas combinações de terapias. No entanto, mais pesquisas são necessárias para criar medicamentos.

 

 

h1

Criadora do blog Além do Cabelo ministra palestra sobre autoestima

17 de março de 2015

Arquiteta e idealizadora do blog Além do Cabelo e do Projeto Camaleão, Flavia Maoli estará na CliniOnco na próxima terça-feira (24) para dar dicas de beleza às pacientes

 

clinionco_flavia_maoli-052Ressaltar a importância da autoestima durante o tratamento do câncer é o objetivo da palestra que a criadora do Projeto Camaleão e do blog Além do Cabelo, Flavia Maoli, ministra na próxima terça-feira (24), às 19h, na CliniOnco. A palestra “Como ser uma Camaleoa” irá abordar temas como: o poder da maquiagem, o uso de acessórios femininos, incluindo perucas, salto alto, brincos e colares, além do uso de lenços e combinações com diversos tipos de roupas. Na ocasião, também haverá uma apresentação do grupo OncoArte, formado por pacientes e ex-pacientes da clínica e coordenado pela fisioterapeuta Iara Rodrigues.

Segundo Flavia Maoli, a palestra é uma oportunidade para as pacientes se inspirarem com dicas para lidar melhor com essa fase do tratamento. “O nome do Projeto Camaleão demonstra exatamente nossa ideia: fazê-las, como um camaleão, aprender a se adaptar à situação em que se encontram para continuar vivendo – e aproveitando a vida!”, completa.

No final do evento haverá um workshop de amarração de lenços, onde as participantes poderão praticar duas amarrações e ainda ganharão um lenço para levar para casa. A palestra é aberta ao público e tem vagas limitadas.

 

Como ser uma Camaleoa

Data: 24 de março (terça-feira)

Horário: 19h

Local: Auditório da CliniOnco (Dona Laura, 204)
E mais:
Workshop de amarração de lenços e apresentação do Grupo OncoArte.
Aberto ao público com vagas limitadas!

h1

Pacientes em quimioterapia poderão participar de oficina de Mindfulness

11 de março de 2015

Técnica proporciona maior atenção ao momento presente e bem estar emocional

meditacaoNesta quinta-feira (12), a CliniOnco terá uma oficina com o psicólogo e especialista em terapia cognitivo-comportamental, Breno Irigoyen de Freitas, sobre Mindfulness, às 10h30 e às 15h, na Sala Rosa – Centro de Tratamentos (2º andar da clínica), destinada a pacientes em tratamento quimioterápico. O objetivo é apresentar exercícios que auxiliem na observação de pensamentos, sentimentos e sensações, a fim de promover novas formas de se relacionar com experiências de sofrimento e de prazer.

O estado mental de mindfulness pode ser estimulado a focar nossa atenção  na experiência direta do momento presente. Ele pode ser treinado por meio de técnicas ou exercícios meditativos e psicoeducativos e traz excelentes resultados para a saúde física, mental e emocional.

Dia: 12 de março – quinta-feira

Local: Sala Rosa  – Centro de Tratamentos – 2º andar
Horário manhã: 10h30
Horário tarde:  15hs
Público – alvo: pacientes em quimioterapia

Breno Irigoyen de Freitas é psicólogo e especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental na Infância e Adolescência. Participou de cursos e treinamentos em Mindfulness: Body in Mind Training, Treinamento de Mindfulness e Terapia de Aceitação e Compromisso. Atualmente é mestrando em Psicologia Clínica na PUCRS. Atua como psicólogo clínico, facilitador de grupos e co-coordenador do Programa de Educação Socioemocional do Instituto da Família de Porto Alegre (INFAPA).