h1

Câncer de intestino: um inimigo silencioso

26 de março de 2014

Rafael CastilhoGeralmente assintomático, esse tumor pode levar anos para se manifestar

O dia 27 de março é o Dia Nacional de Combate e Prevenção ao Câncer do Intestino. Esse tipo de tumor é o segundo mais incidente entre as mulheres e o terceiro mais frequente no público masculino. No Rio Grande do Sul, os casos crescem e preocupam especialistas. O câncer de intestino é traiçoeiro. Quando se manifesta, o tumor pode estar razoavelmente grande, já que na fase inicial costuma ser assintomático.

O câncer de intestino desenvolve-se a partir de lesões precursoras, os pólipos, que são estruturas geralmente em forma de cogumelo que fazem saliência na mucosa do intestino grosso. Alguns sintomas exigem atenção, como a anemia, alteração da frequência da defecação, sensação de fraqueza, além de alteração do ritmo intestinal com predominância de constipação intestinal, ou seja, prisão de ventre.

Sangramentos, vontade frequente de ir ao banheiro e insatisfação provocada pela sensação de evacuação incompleta podem ser sinais de câncer ou de doença inflamatória no reto. O médico Coloproctologista e coordenador do Centro de Prevenção do Câncer da Clinionco, Dr. Rafael Castilho, esclarece algumas dúvidas sobre sintomas, diagnóstico e prevenção do câncer de intestino:

 Sabe-se que a incidência de câncer de intestino é alta, em particular a de câncer de cólon. Como esse tema deve ser tratado?

Os números de incidência do câncer de intestino vêm subindo assustadoramente, principalmente no Rio Grande do Sul, porém, não há investimento algum em prevenção, mesmo que experiências de outros países mostrem que este é um dos tumores onde a prevenção dá resultados mais efetivos.

Nos Estados Unidos, a mortalidade caiu 30% nas últimas décadas e estudos populacionais na Inglaterra e no Canadá mostram uma redução em torno de 60% na incidência em virtude das campanhas de prevenção que são adotadas.

  O câncer de intestino, quando se manifesta, que sintomas pode provocar?

Os principais sintomas que indicam que a doença já pode estar avançada são o sangramento anal ou presença de sangue nas fezes, que pode ser erroneamente confundido com hemorroidas, vontade frequente de ir ao banheiro e sensação de evacuação incompleta, dor ou desconforto abdominal, além de perda de peso, fraqueza ou anemia.

 Quais são os fatores de risco associados à doença?

Alguns fatores e hábitos devem ser observados como:
-Pessoas com mais de 50 anos e com histórico familiar de pólipos ou câncer no intestino;
– Tabagismo;
– Alimentação rica em gorduras e podre em fibras;
– Obesidade e sedentarismo;
– Pacientes que tiveram tumores no ovário, mama ou endométrio;
– Doenças crônicas ou inflamatórias no intestino.

É importante frisar que muitas pessoas não têm comportamento de risco, mas também podem desenvolver tumores no intestino.

Podemos afirmar que a alimentação está diretamente ligada ao câncer de cólon?

Assim como em outros tipos de câncer, o tumor de intestino é multifatorial, mas nessa região específica, hábitos alimentares saudáveis têm papel fundamental na prevenção.

 Qual a dieta adequada na prevenção deste tipo de câncer?

O mais importante é um consumo regular de frutas e verduras (5-7 porções ao dia), evitar alimentos industrializados. Há muita controvérsia sobre a associação entre carne e câncer de intestino.  Há estudos recentes que relacionam mais as carnes processadas e o preparo com cozimento excessivo e na brasa com fatores carcinogênicos.

Pessoas com intestino preguiçoso estão entre candidatos a ter câncer de intestino?

A constipação intestinal não é fator relacionado diretamente ao câncer de intestino, mas pode estar associada a uma alimentação inadequada e deve ser investigada para exclusão de outras patologias.

 Quais os exames indicados para detecção da enfermidade?

A colonoscopia é o exame mais indicado e eficaz, mas exames de detecção de sangue oculto nas fezes podem ser adequados em campanha de prevenção populacionais.

Existe alguma indicação específica para a colonoscopia antes dos 40 anos?

Abaixo dos 40 anos, os sintomas de alterações do intestino e sangramento são as principais indicações de colonoscopia, mas também há os casos de histórico familiar com alterações genéticas relacionadas aos tumores intestinais. Essas pessoas devem começar a fazer exames precocemente.

 

Previna-se!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: